"Quanto mais eu cavo, mais me entristeço, por isso decidir dormir na minha própria cova. E até que esta profundamente aconchegante." - Frankli Sausmickat

"Você não vai entender que eu não sei voar, eu não sei mais nada (…)" - Canção para não voltar

"

Um não, um sim, talvez apenas uma carta.


Decidir escrever essa carta de punho, pois algumas coisas mais trabalhadas, dedicadas, parecem ou demonstram mais sinceridades. Fui até devagar com as letras para não correr o risco de não conseguir lê-las, mas ainda correndo o risco de não serem compreendidas.
Veja bem, não é uma carta declarativa, de despedida, também não é um pedido de clemência, são apenas algumas de minhas palavras querendo descrever-me. Descrever sentimentos, vivos ou mortos, sei lá, vai de acordo com sua interpretação, apenas acredite: são palavras sinceras, reais!
Não irei mais falar de meus sonhos com você, porque já deve ter ouvido ou lido, e de certa forma, se fosse de seu interesse, os saberiam de cor, já os falei um bocado.
Não vou dizer o quanto meu coração dispara sempre que penso em você, que me lembro de detalhes que possam ser muito ou nada para ti, mas que minha mente insiste todos os dias em repetir.
Não vou dizer que ainda sinto o cheiro da sua pele, do perfume ao suor e ao seu enredo, o álcool e tantas outras substâncias químicas que pelos esporos sua pele estava a liberar, até os hormônios, tudo ficou gravado.
Não vou dizer que esse tempo todo desde que te conheci, acordo com você na mente e grito ao meu subconsciente que me deixasse mais um pouco dormir, pois você é projeto dele à meus sonhos.
Não vou falar de amor, pois isso é tão medíocre. As estatísticas revelam que ele, em sua maior parte, nasce em territórios não correspondidos, outrora não permissivos.
Fazendo uma pausa a meus “não”, irei dizer que esse amor, que nasceu não sei onde e nem o porque, decidiu morar aqui, em mim, se espalhou por completo, alterou os princípios da minha mente, desorganizou tudo, até meu coração bate em um ritmo diferente. É maravilhoso isso que sinto, mas não te ter, dói.
Voltando à meus conceitos, NÃO irei falar sobre a dor, que horas bate e o tempo ainda não ajudou.
A ponto de concluir, justificarei que estou bem, mas poderia estar melhor, ressaltando que seu sorriso é lindo e que se algum dia sentir algo um mínimo parecido, desejo do fundo do meu coração que seja correspondido.
Meu erro foi ter desejado estar ao seu lado todos os dias, foi ter calculado o sacrifício necessário, e ainda assim, querer ter lutado e fazendo jus a esse amor e tudo quanto podia para e por ele.
Quando conseguir entender essa carta e compreender cada letra, quero que apague tudo, e neste mesmo papel, escreva algo próprio, por sua mão, com suas letras. Termino por assim dizer o que não era essa carta:
EU TE AMO, MESMO QUE NÃO ENTENDA!

" - Frankli Sausmickat

Pode responder? 

Se alguém aparecesse na sua frente dizendo que veio do futuro, que não tem muito tempo para explicar, mas que só precisa alertar para evitar de conhecer uma “certa pessoa” pois ela é o amor da sua vida, mas que em pouco tempo, depois de estarem juntos, ela morrerá e toda sua vida perderá a razão; que algo muito maior estará a sua frente e que se você se permitir a conhece-la a dor será tão grande, que mesmo ele estando ali para te alertar, você irá se matar.

- E eu insisto você tem que evitar!

: a pergunta seria, oque você faria? evitaria o acaso, tentaria forjar o destino, ou arriscaria sua vida? você pode até pensar “que bobeira, porque eu me mataria?”, más… lembre-se: a dor ainda não chegou pra você

"

Só mais um dia
Entre tantos outros:
Acordei
Pense
Bocejei…
Refleti e levantei.

Só mais um dia
Entre tantos:
Acordei
Te desejei
E como outrora noites,
Uma à mais,
Longas,
Sonhadora.

Só mais uma noite
Entre tantas que,
Contigo,
Mas sem ti,
Sonhei…
Você estava aqui,
E depois,
Tristemente acordei.

" - Frankli Sausmickat

"Me desculpe, é que minha [in]sanidade pede conhecimento, depois pede carinho, pede beijo, pede seu corpo, seu calor… me ferve entre desejos." - Frankli Sausmickat

"Entre pedaços e pedaços
Revejo meus desejos
Entre cores e cores
revejo meus anseios
No espelho eu não olhava seus olhos
Estava olhando sua alma
Estava distante.
Eu estava encharcado
Transbordando um amor louco
Quieto
Mas que dentro de si
não se compunha
então batia
espancava
Sentia meu coração pedido arrego
Sentia meu estomago pedindo pausa
Sentia tudo tremendo
era um nervosismo que não acabava
No fundo só conseguia ouvir
Minha mente, ainda insistente,
Pedindo um pouco mais de calma
E minhas unhas já estavam todas gastas,
Não conseguir conter a loucura
Mas em pedido de paz
Ela me deu uma noite
foi longa
Mas ainda dormi
E sonhei só um pouco mais.
Mais, mais, mais e mais." - F. Sausmickat

"Vejo você
E paro
Paraliso
E penso:
Paraíso" - F. Sausmickat